Pipeline inaugura novo Circuito Mundial.

Etapa havaiana começa no dia 15 de março e inicia um novo formato no tour mundial. O começo de uma nova era esta prestes a se iniciar...

Etapa havaiana começa no dia 15 de março e inicia um novo formato no tour mundial.
O começo de uma nova era esta prestes a se iniciar no bodybaording mundial. Entre os dias 15 e 25 de fevereiro, Pipeline, no Havaí, inaugura o novo formato do tour mundial, onde apenas 32 atletas competem no evento principal, chamado de Grand Slam Series. O evento oferece uma premiação total de U$ 45.000,00, 2000 pontos no ranking mundial masculino e 1500 no ranking feminino.
No total, 16 atletas estão pré-classificados para o evento principal, que ainda terá mais 16 competidores que serão conhecidos através de uma triagem. Entre os tops da elite mundial, o Brasil conta com cinco atletas: Guilherme Tâmega (RJ), Eder Luciano (SC), Magno Oliveira (ES), Uri Valadão (BA) e Lucas Nogueira (ES).
Campeão mundial em 2008, o baiano Uri Valadão já treina no Havaí e diz que o evento tem tudo para ficar marcado na história. “Essa temporada está muito boa de onda. Cheguei e já fui recebido com ondas perfeitas e empolgantes. Quero me focar bastante no evento e estou treinando bastante em Pipeline”, afirmou o baiano.
Quem também já chegou ao Havaí e treina bem forte para o evento é o catarinense Eder Luciano. Atual top-5 do mundo, o atleta de Itapema diz que a partir de agora o ranking do ano anterior não importa mais. “Aqui no Havaí não tem essa de ser top ou não. O que conta são as temporadas nas costas e o conhecimento que se ganha a cada onda surfada. Pipe está quebrando clássico e eu estou muito feliz de estar aqui pela segunda vez”, avaliou.
Brasileiros competem nas triagens:
Além dos cinco brasileiros que competem no GSS, outros atletas do país também participarão das triagens em busca de um lugar na elite. Luis Villar, atleta de Santa Catarina, é um destes atletas. O catarinense é um dos brasileiros mais experientes no tour e promete brigar por uma das oito vagas no evento principal.
“Aqui em Pipe eu caiu uma fase antes dos tops e isso é bom para embalar um pouco antes. Sei que aqui é só pedreira, mas não tem que ficar escolhendo muito. Você tem que estar preparado para tudo”, declarou o atleta, que cai nas últimas fases das triagens.
Brasileiras brigam pelo título:
Se entre os homens o Brasil possui uma equipe de peso, entre as mulheres a história se repete. Inclusive, no Circuito Feminino, o Brasil é o país a ser batido. Atual campeã mundial, a cearense Isabela Sousa lidera a equipe nacional nas ondas havaianas. Além disso, o Brasil conta com a volta de Neymara Carvalho, pentacampeã mundial de bodyboarding, que retorna a elite após um ano de ausência.
“Estou muito motivada para o meu retorno. Após um ano de descanso volto revigorada e animada para mais uma temporada, frisou Neymara, que busca este ano seu sexto título mundial. “Sinto-me bem preparada. Essa é a minha profissão e o que mais amo fazer na vida. Nada melhor do que trabalhar com o que se ama. Tudo fica mais agradável”, completou.

Fonte: Bodyboardpress.com
Postado Por Lailson Andrade

Related

Competições. 4780252611837606274

Postar um comentário

emo-but-icon

SIGA-NOS

+ VISTA

INSTAGRAM


WORLD-TOUR


PRA VOCÊ

Olá comunidade do bodyboarding, estamos de cara nova, curta nosso site e acompanhem todas as noticias do esporte!

item