Marcelo Freitas visita a onda mais longa do mundo, Pororoca!

Após ouvir falar muito sobre a onda mais longa do mundo, não contive a minha curiosidade e tive de conhecer este nosso fenômeno incrível em...


Após ouvir falar muito sobre a onda mais longa do mundo, não contive a minha curiosidade e tive de conhecer este nosso fenômeno incrível em plena mata. Antes eu pensava que a onda da pororoca era de fato uma onda cheia, gorda e sem força para o bodyboarding, baseado no que já tinha visto em muitas fotos e filmagens de bodyboarders na onda, mas ainda assim eu seguia com aquela vontade de sentir a onda e comprovar se realmente dava para executar manobras de lip, usando velocidade com radicalidade e fluidez.


Quando foi feito o convite, nem pensei duas vezes e me apressei pra fazer parte desta barca que tinha como líder, o surfista Marcelo Bibita, que é um dos precursores mais experientes da onda. Representando a equipe do Diário do Nordeste o jornalista e o fotografo George Washington e Natinho Rodrigues,
e também bruninho com seu Jet ski, que foi o adianto da viagem. 


A primeira onda que surfei na Pororoca foi na bancada do curral da igreja. Tive uma primeira impressão que a onda era fraca e sem força,como já tinha imaginado antes, mas logo na seqüência fui para a bancada do Bonfim e a minha concepção logo mudou. Vi que quando ela chega na bancada vem com uma força arrebatadora, e isto foi na sexta dia 18, o apse da maré seria no domingo.
No sábado acordamos cedinho e foi o dia de conhecer a bancada do Sitio. Já me senti muito mais a vontade na onda, é pena que ela não durou muito tempo e acabou antes da manobra prevista, mas ta tranqüilo, ainda temos o domingo rei.


E o domingo que foi o dia mais esperado da trip, pois a maré estava no auge da cheia e tudo contribuindo para a onda ser a onda da viagem. Acordamos cedo e a equipe dos prevenidos com suas lanchas me deram uma carona meio que sem querer mas cederam gentilmente, então encontrei com mais alguns surfistas e o crowd já era pra lá de 10 pessoas. 
Quando ela veio se aproximando do pessoal, era uma espuminha pequena que do nada tomou força e já pulamos nela. Depois de dividir a onda com todos, a mãe natureza me presenteou com um grande momento a sós com ela, fiquei viajando entre a espuma e a parede, esperei um lip para bater e não armou, mas dei varias seqüencias de cut's com invertido e 360 normal, depois disso entrou outra galera na onda, e dividi com o meu xará Marcelo a direita e o George com amigos na esquerda, quando dei por mim já estava contemplando a rainha da selva sozinho novamente. Fiquei na adrenalina por mais algum tempo até que saí da onda por livre e espontânea vontade, pois já andava só na sua ondulação sem parede ou espuma, fiquei a deriva no meio do rio sendo levado pela correnteza e nesta parte que me senti um pouco aterrorizado pois todas as lanchas com o pessoal se fora, seguindo a onda. Mesmo sem ter certeza, qualquer vulto que eu via me parecia com um jacaré ou coisa parecida. Fui andando nas margens ate encontrar algum ser humanóide vivo depois de algum tempo.


Foi isso! adrenalizante do inicio ao fim.


por: sertão bodyboard.com
Postado Por Lailson Adrade.

Postar um comentário

emo-but-icon

SIGA-NOS

+ VISTA

INSTAGRAM


WORLD-TOUR


PRA VOCÊ

Olá comunidade do bodyboarding, estamos de cara nova, curta nosso site e acompanhem todas as noticias do esporte!

item